IV SIMPÓSIO INTERNACIONAL EDITH STEIN

domingo, 9 de agosto de 2009

09 DE AGOSTO – SANTA TERESA BENEDITA DA CRUZ, VIRGEM E MÁRTIR - Ofício das Leituras


Edith Stein nasceu em Breslávia, no dia 12 de outubro de 1891, de uma família hebréia. Apaixonada pesquisadora da verdade, através de aprofundados estudos de filosofia, encontrou-a mediante a leitura da autobiragrafia de sana Teresa de Jesus. Em 1922, recebeu o batismo na Igreja católica e, em 1933, entrou para o Carmelo de Colônia. Morreu mártir pela fé cristão aos 9 de agosto de 1972, nos fornos crematórios de Auschwitz, durante a perseguição nazista, oferecendo seu holocausto pelo povo de Israel.
Mulher de inteligência e cultura singulares, deixou muitos escritos de alta doutrina e de profunda espiritualidade. Foi beatificada por João Paulo II em Colônia, no dia 1º de maio de 1987 e canonizada em Roma aos 11 de outubro de 1998.

OFÍCIO DAS LEITURAS – Comum dos Mártires

HINO (para uma virgem mártir)

Ó Cristo, flor dos vales,
de todo bem origem,
com palmas de martírio
ornaste vossa virgem.

Prudente, forte, sábia,
professa a fé em vós
por quem aceita, impávida,
a pena mais atroz.

O príncipe do mundo
por vós, Senhor, venceu.
Vencendo o bom combate,
ganhou os bens do céu.

Bondoso Redentor,
por sua intercessão,
uni-nos, de alma pura,
à virgem, como irmãos.

Jesus, da Virgem Filho,
louvor a vós convém,
ao Pai e ao Santo Espírito,
agora e sempre. Amém.

SALMODIA

Salmo 2

- Por que os povos agitads se revoltam?
por que tramam as nações projetos vãos?
- Por que os reis de toda a terra se reúnem,
e conspiram os governos todos juntos
contra o Deus onipotente e o seu Ungido?

- “Vamos quebrar suas correntes”, dizem eles,
“e lançar longe de nós o seu domínio!”
- Ri-se deles o que mora lá nos céus;
zomba deles o Senhor onipotente.
- Ele, então, em sua ira os ameaça,
e em seu furor os faz tremer, quando lhes diz:

- “Fui eu mesmo que escolhi este meu Rei,
e em Sião, meu monte santo, o consagrei!”
- O decreto do Senhor promulgarei,
foi assim que me falou o Senhor Deus:
“Tu és meu Filho, e eu hoje te gerei!

- Podes pedir-me, e em resposta eu te darei
por tua herança os povos todos e as nações,
e há de ser a terra inteira o teu domínio.
- Com cetro férreo haverás de dominá-los,
e quebrá-los como um vaso de argila!”

- E agora, poderosos, entendei;
soberanos, aprendei esta lição:
- Com temos servi a Deus, rendei-lhe glória
e prestai-lhe homenagem com respeito!

- Se o irritais, perecereis pelo caminho,
pois depressa se acende a sua ira!
- Felizes hão de ser todos aqueles
que põem sua esperança no Senhor!

Ant. Vós sereis odiados por meu nome;
Quem for fiel até o fim há de ser salvo.

Ant. 2. Os sofrimentos desta vida aqui na terra não se comparam com a glória que teremos.

Salmo 10 (11)

- No Senhor encontro abrigo;
como, então podeis dizer-me:
“Voa aos montes, passarinho!

- Eis os ímpios de arcos tensos,
pondo as flechas sobre as cordas,
- e alvejando em meio à noite
os de reto coração!

- Quando os próprios fundamentos
do universo se abalaram,
o que pode ainda o justo?”

- Deus está no templo santo,
e no céu tem o seu trono;
- volta os olhos para o mundo,
seu olhar penetra os homens.

- Examina o justo e o ímpio,
E detesta o que ama o mal.
- Sobre os maus fará chover
fogo, enxofre e vento ardente,
como parte de seu cálice.

- Porque justo é nosso Deus,
o Senhor ama a justiça.
- Quem tem reto coração
há de ver a sua face.

Ant. Os sofrimentos desta vida aqui na terra não se comparam com a glória que teremos.
Ant. 3. Deus provou os seus eleitos como o ouro no crisol, e aceitou seu sacrifício.

Salmo 16 (17)

- Ó Senhor, ouvi a minha justa causa,
escutai-me e atendei o meu clamor!
- Inclinai o vosso ouvido à minha prece,
pois não existe falsidade nos meus lábios!
- De vossa face é que me venho o julgamento,
pois vossos olhos sabem ver o que é justo.

- Provai meu coração durante a noite,
visitai-o, examinai-o pelo fogo,
mas em mim não achareis iniqüidade.
- Não cometi nenhum pecado por palavras,
como é costume acontecer em meio aos homens.

- Seguindo as palavras que dissestes,
andei sempre nos caminhos da Aliança.
- Os meus passos eu firmei na vossa estrada,
e por isso os meus pés não vacilaram.

- Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis,
inclinai o vosso ouvido e escutai-me!
- Mostrai-me vosso amor maravilhoso,
vós que salvais e libertais do inimigo
quem procura a proteção junto de vós.

- Protegei-me qual dos olhos a pupila
e guardai-me, à proteção de vossas asas,
- longe dos ímpios violentos que me oprimem,
dos inimigos furiosos que me cercam.

- A abundância lhes fechou o coração,
em sua boca há só palavras orgulhosas.
- Os seus passos me perseguem, já me cercam,
voltam seus olhos contra mim: vão derrubar-me,
- como um leão impaciente pela presa,
um leãozinho espreitando de emboscada.

- Levantai-vos, ó Senhor, contra o malvado,
com vossa espada abatei-o e libertai-me!
- Com vosso braço defendei-me desses homens,
que já encontram nesta vida a recompensa.

- Saciais com vossos bens o ventre deles,
e seus filhos também hão de saciar-se
e ainda as sobras deixarão aos descendentes.
- Mas eu verei, justificado, a vossa face
e ao despertar me saciará vossa presença.

Ant. Deus provou os seus eleitos como o ouro no crisol, e aceitou seu sacrifício.
V. Tribulação e sofrimento me assaltaram.
R. Minhas delícias são os vossos mandamentos.

Primeira Leitura

Da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios (4,7- 5,8)

Nas tribulações manifesta-se a força de Cristo

Irmãos: Trazemos esse tesouro em vasos de barro, para que todos reconheçam que este poder extraordinário vem de Deus e não de nós. Somos afligidos de todos os lados, mas não vencidos pela angústia. postos entre os maiores apuros, mas sem perder a esperança; perseguidos, mas não desamparados; derrubados, mas não aniquilados; por toda a parte e sempre levamos em nós mesmos os sofrimentos morais de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossos corpos. De fato, nós os vivos, somos continuamente entregues à morte, por causa de Jesus, pra que também a vida de Jesus seja manifestada em nossa natureza mortal. Assim, a morte age em nós, enquanto a vida age em vós.
Mas, sustentados pelo mesmo espírito de fé, conforme o que está escrito: “Eu creio e, por isso, falei”, nós também cremos e, por isso, falamos, certos de que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também com Jesus e nos colocará ao seu lado, juntamente convosco. E tudo isso é por causa de vós, para que a abundância da graça em um número maior de pessoas faça crescer a ação de graças para a glória de Deus. Por isso, não desanimamos. Mesmo se o nosso homem exterior se vai arruinando, o nosso homem interior, pelo contrário, vai-se renovando, dia a dia. Com efeito, o volume insignificante de uma tribulação momentânea acarreta para nós uma glória eterna e incomensurável. E isso acontece, porque voltamos os nossos olhares para as coisas invisíveis e não para as coisas visíveis. Pois o que é visível é passageiro, mas o que invisível é eterno.
De fato, sabemos que, se a tenda em que moramos neste mundo for destruída, Deus nos dá uma outra moradia no céu que não é obra de mãos humanas, mas que é eterna. Aliás, é por isso que nós gememos, suspirando por ser revestidos com a nossa habitação celeste; revestidos, digo, se, naturalmente, formos encontrados ainda vestidos e não despidos. Sim, nós que moramos na tenda do corpo estamos oprimidos e gememos, porque, na verdade, não queremos ser despojados, mas queremos ser revestidos, de modo que o que é moral, em nós, seja absorvido pela vida. E aquele que nos fez para esse fim é Deus, que nos deu o Espírito como penhor.
Estamos sempre cheios de confiança e bem lembrados de que, enquanto moramos no corpo, somos peregrinos longe do Senhor; pois caminhamos na fé e não na visão clara. Mas estamos cheios de confiança e preferimos deixar a moradia do nosso corpo, para ir morar junto do Senhor.

Responsório

R. Felizes quando a vós insultarem, perseguirem e, calúnias proferindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. * Alegrai-vos e exultai, pois a vossa recompensa no céu é muito grande.
V. Felizes o que são perseguidos por causa da justiça do Senhor, porque o reino dos céus há de ser deles. *Alegrai-vos.

Segunda Leitura

Dos Escritos Espirituais de santa Teresa Benedita da Cruz, virgem e mártir (Edith Stein: “Vita, Dottrina, Tesi inediti” Roma, PP. 127-130)

Ave Crux, spes única!

“Saudamo-te, Cruz santa, nossa única esperança!”, assim a Igreja nos faz dizer no tempo da paixão, dedicado à contemplação dos amargos sofrimentos de Nosso Senhor Jesus Cristo.
O mundo está em chamas: a luta entre Cristo e o anticristo encarniçou-se abertamente, por isso, se te decides por Cristo, pode te ser pedido também o sacrifício da vida.
Contempla o Senhor que pende do lenho diante de ti porque foi obediente até a morte de cruz. Ele veio ao mundo não para fazer a sua vontade, mas a do Pai. Se queres ser a esposa do Crucificado deves renunciar totalmente à tua vontade e não outra aspiração senão a de cumprir a vontade de Deus.
Á tua frente o Redentor pende da Cruz despojado e nu, porque escolheu a pobreza. Quem quer segui-lo deve renunciar a toda posse eterna.
Estás diante do Senhor que pende da Cruz com o coração despedaçado; ele derramou o sangue de seu Coração para conquistar o teu coração. Para poder segui-lo em santa castidade, o teu coração deve ser livre de toda aspiração terrena; Jesus Crucificado deve ser o objeto de todo o teu anseio, de todo o teu desejo, de todo o teu pensamento.
O mundo está em chamas: o incêndio poderia pegar também em nossa casa, mas, acima d todas as chamas, ergue-se a Cruz que não pode ser queimada. A Cruz é o caminho que conduz da terra ao céu. Quem a abraça com fé, amor, esperança é levado para o alto, até o seio da Trindade.
O mundo está em chamas: desejas extingui-las? Contempla a Cruz – do Coração aberto jorra o sangue do Redentor, sangue capaz de extinguir também as chamas do inferno. Através da fiel observância dos votos, torna o teu coração livre e aberto; então, poderão ser despejadas nele as ondas do amor divino; sim, a ponto de fazê-lo transbordar e torná-lo fecundo até os confins da terra.
Através do poder da Cruz, podes estar presente em todos os lugares da dor, em toda parte para onde te levar a tua compassiva caridade, aquela caridade que haures do Coração divino e que te torna capaz de espargir, por toda parte, o seu preciosíssimo sangue para aliviar, salvar, redimir.
Os olhos do Crucificado fixam-te a interrogar-te, a interpelar-te. Queres estreitar novamente, com toda seriedade, a aliança com ele? Qual será a tua resposta? “Senhor, aonde irei? Só tu tens palavras de vida”. Ave Cruz, spes única!

Responsório

R. Nós anunciamos Cristo crucificado, que para os judeus é escândalo, para os gentios é loucura;
* Para aqueles que são chamados, tanto judeus como gregos, é Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus.
V. O desejo do meu coração e a minha oração sobem a Deus pela salvação deles.
* Para.

ORAÇÃO

Senhor Deus de nossos pais, fazei abundar em nós a sabedoria da cruz, com a qual, admiravelmente, enriquecestes santa Teresa Benedita, na hora do martírio. Concedei-nos, por sua intercessão, que constantemente vos procuremos, Suma Verdade, e guardemos fielmente, até à morte, a eterna aliança de amor, selada no sangue de vosso Filho, para a salvação de todos os homens. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Nenhum comentário: